março 30, 2008

Motivação

Quando deixamos de nos dedicar ao blogue com a regularidade do costume dizemos que andamos sem disposição, muito ocupados, sem ideias, com muita preguiça, sem cabeça para escrever... enfim, as desculpas que estiverem mais à mão, às vezes até dizemos que o computador esteve com problemas. Mas serão verdadeiras essas desculpas? Claro que sim mas a verdadeira razão do nosso afastamento é, quanto a mim, termos encontrado algo que, ainda que por algum tempo, nos dá mais satisfação que a escrita do blogue. Como diria o principezinho de Saint Éxupéry, encontrámos outra flor a quem dedicar o nosso afecto.
No meu caso, este afastamento temporário, espero, deve-se a outras urgências relacionadas com a agricultura e a jardinagem. E tem sido, de facto, um prazer viver esta época de lavrar, plantar, semear, podar...
E, nesse contexto, o blogue vai ficando para trás.

3 comentários:

aix disse...

Sobre blogs
Sobre os blogs também tenho a minha teoria : há os que servem para os seus autores AA – em geral políticos ou jornalistas – comunicarem regularmente com os seus leitores. É óbvio que devem ser abastecidos com regularidade, não vão cair no esquecimento (Cito como exemplos, ao calhas, o Abrupto, o Arrastão, o Blasfémias, o Bicho Carpinteiro, e mais não digo). Depois há os que são temáticos, ligados a bons especialistas e também bons comunicadores que têm os seus filiais leitores (exº o «Morcon»). Não exigem tanta regularidade. No 3º grupo (passe a análise simplista) incluo os muitos milhares de bloguistas não comprometidos com as mensagens nem com a regularidade. Nestes incluo o «Xeringador».Então para que serve “um” blog? Ouvi neste Domingo um programa matinal da Antena 1 uma entrevista em que a entrevistada sobre a utilidade do seu blog respondia que era para lá colocar, e mais tarde rever, as suas alegrias e tristeza, que fazia dele uma espécie de “diário” dos eventos e experiências pessoais. (Como trabalhava na prostituição temas não lhe deviam faltar!).E olhe que não me pareceu nada parva! O blog poderá ser, segundo a esperta borboleta, um repositório das ideias, emoções e reflexões do seu A. como expressão dos sentimentos actuais ou para mais tarde recordar. Também tenho para mim que os comentários têm menos a ver com a qualidade dos originais e mais com a notoriedade dos donos. Frequento um blog («Aliás») que reputo de boa qualidade mas de quase nulos comentários. Eu, por exemplo, hoje deu-me para postar este :
[É dia de ver «as escolhas de Marcelo». Mais do que interesse é vício. Lá verei Maria da Flor Pedroso a fazer reverentemente de “yes, wooman” e pouco mais e a apoucar-se com um muitas vezes repetido “Professor”. Professor que, para mim é o que ensina, não o que opina. «Os meus comentários são sempre tendencialmente favoráveis ao PSD, mesmo quando não parecem» (durante uma aula aos militantes da secção D do PSD Lisboa – Expresso 21 de Março de 2008).
Perante isto que autoridade tem MRS para ridicularizar Jorge Coelho por, sendo comentador no “Quadratura do Círculo”, intervir num encontro de PS,s? E que independência nos garante nos seus comentários? Ó Professor, pelo menos poupe-nos à petulância das notas. Os seus ouvintes já tiveram muitas oportunidades de as receber (e, no meu caso, de as dar) em contextos mais adequados. E modere-se no ritmo (se isso lhe é possível). É que, se chamaram “picareta falante” ao A. Guterres então MRS deveria ser qualquer coisa como “metralha falante”].
Espero, pois, Amigo xeringas, continuar a lê-lo, escreva com muita ou pouca regularidade. Mais ainda o apreciarei se escrever sobre agricultura. Por isso por causa do blog não deixe de lavrar, plantar, semear e podar, tarefas as mais nobres porque são...Cultura. Os comentários é que serão ao calhas porque isto de escrever é como isto de viver : umas vezes em cima, umas vezes em baixo. Abraço.

Xo_oX disse...

Muito bem Xeringador, a horta promete mas não te desculpa por não actualizares o blog. A que horas regas as alfaces e os t******?
Um abraço

Xeringador disse...

Meu caro Xo_oX, não sabia que também ligavas aos pobres e, no meio de todos os teus afazeres, ainda te dignavass aparecer no humilde blogue do Xeringador.
A tua questão não é retórica e encaro-a como um teste aos conhecimentos de quem se intitula de Xeringador. Então, fica a saber que não viro a cara à luta e vou esgrimir argumentos contigo no teu próprio terreno, homem das biologias. E, para não alongar muito este comentário, vou responder-te com um novo texto, também em memória da tua visita.